A DANÇA DOS PLANETAS EM 2002

 

Prof. Renato Las Casas (29 abril de 2002)

 

O QUE VER?

 

      

            Além da Terra, dos nove planetas do Sistema Solar é possível vermos a olho nu: Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno.

        Mercúrio e Vênus, por terem órbitas internas à da Terra, são sempre vistos próximos ao Sol; ou um pouco antes do alvorecer, ou um pouco depois do anoitecer. Marte, Júpiter e Saturno têm órbitas externas à da Terra e podem ser vistos inclusive do lado oposto ao do Sol (o Sol está se pondo a oeste e eles nascendo a leste, por exemplo) e serem vistos durante toda a noite.

        Quem já viu esses cinco planetas "juntos" no céu? Isso é algo relativamente raro de acontecer e está podendo ser visto nos inícios das noites, desde o dia 21 passado, até pelo menos, dia 14 próximo.

        A vez anterior que isso aconteceu foi em fevereiro de 1940 e quem não ver agora só terá nova chance em setembro de 2040; e mesmo assim com uma outra configuração dos planetas.

        Não existe um determinado dia que seja o "grande dia do alinhamento".
       Vendo da Terra esses cinco planetas estarão mais "próximos" (33o de Mercúrio a Júpiter) no dia 14, mas o melhor dia para observá-los será dia 5 (36o de Mercúrio a Júpiter). Isso porque Mercúrio, o mais difícil de ser observado, visto da Terra estará mais "distante" do Sol e conseqüentemente mais "alto" no céu, no momento do por do Sol. Também no dia 5, Mercúrio estará "mais brilhante" que no dia 14, pois a sua parte iluminada pelo Sol estará mais voltada para nosso planeta.

 

        

       Ainda vendo da Terra, dia 10 teremos uma grande "aproximação" entre Vênus e Marte (o amor -Vênus- encontra a guerra -Marte-, segundo a mitologia grega). A distância angular entre eles será de apenas 1/3o (menor que a grossura de seu polegar, vendo-o com o braço esticado).

 

       

        E pra encerrar a grande festa, no dia 13 a Lua entra na dança; como sempre em grande estilo. Nesse dia ela estará próxima a Mercúrio, se aproximando dos demais planetas. No dia 16 estará próxima a Júpiter, já se afastando.
        O ponto alto de sua performance, entretanto, será dia 14 quando ela, quase nova, "quase encostará "em Marte. Será interessante notar o seu movimento de Marte para Vênus durante os poucos minutos que a tivermos no céu.

 

       

     Na observação desse alinhamento, preste atenção:
                As estrelas cintilam e os planetas não. O cintilar é devido a flutuações da atmosfera que desviam os raios de luz das estrelas constantemente de direção. Esse desvio constante também acontece com a luz dos planetas mas não se traduz em cintilar porque, vistos da Terra, os planetas têm "tamanho angular" (as estrelas estão tão distantes que são como que pontos de luz). Estatisticamente, um raio de luz que sai de um ponto do disco do planeta e é desviado pra fora de nosso olho, vai ser compensado por outro raio que sai de outro ponto e é desviado pra dentro de nosso olho.
                Vemos as estrelas fixas umas em relação às outras. Elas "se adiantam" no céu aproximadamente 4 minutos cada dia. Esse adiantar das estrelas no céu é devido ao transladar da Terra. Cada dia que passa nós as observamos de um novo local do espaço.
                Os planetas se movimentam em relação às estrelas de fundo e uns em relação aos outros. Quanto maior for o raio da órbita de um planeta, mais tempo ele gasta em seu movimento em torno do Sol, conseqüentemente, visto da Terra, mais lento o seu movimento em relação às estrelas de fundo.
                Os planetas, o Sol e a Lua, em relação às estrelas de fundo, percorrem um mesmo caminho no céu (aproximadamente uma reta, que chamamos de eclítica). Isso é devido ao fato das órbitas dos planetas e da Lua estarem aproximadamente em um mesmo plano (que corresponde à eclítica).

 

 

continua

 

 


Leia mais sobre:

 

Observação                              Sistema Solar